6 janeiro 2015 arquivado em: Blog
Aí está uma pergunta que sempre recebo por e-mail, por comentários aqui e nas redes sociais. Muito bem: no post de hoje, eu compartilho com vocês a minha maneira de digitalizar aquarelas sem perder a qualidade. A grande verdade é que é meio impossível fazer com que a imagem digital fique 100% fiel ao que você vê no papel, mas a gente pode usar recursos pra fazer com que os resultados se aproximem ao máximo. Vamo nessa?

Scanner


Eu uso um modelo de scanner bem antiguinho: é o Scanjet G2410, da HP. Ele comporta tamanhos até o formato A4, e nunca me deu nenhum tipo de problema. Esse tipo de scanner possui dois botões: um pra digitalizar (o da esquerda) e um pra impressão (pra tirar ‘xerox’, que já não funciona mais).
Quando eu pressiono o botão de digitalizar, aparece uma janela de diálogo com várias opções:
Depois de clicar em ‘digitalizar’, vai abrir uma outra janela de diálogo – dessa vez, com opções mais específicas em relação ao formato, tipo, resolução, brilho e contraste da imagem. Aqui, eu sempre mantenho a resolução em 300dpi, e removo todo o brilho da imagem. Clicando em visualizar, temos o seguinte resultado:
Ainda nesse passo, você pode usar a caixa de seleção (esse retângulo pontilhado) pra selecionar o que vai querer da imagem, e alterar o contraste, se precisar. Fica uma imagem realmente bem sem graça, e totalmente diferente da que temos no papel. Mas aguenta firme, que vamos mudar isso no próximo passo desse tutorial.
O editor de imagens

Eu sempre usei o Photoshop, desde que me entendo por gente. Buscando por Portable Photoshop no pai Google, você consegue vários links pra baixar a versão portátil do programa – eu uso uma versão chamada “White Rabbit”, que é mais ou menos equivalente ao CS5, e baixei no tumblr Having Themes. Na verdade, a versão do programa, ou o próprio programa não tem tanta importância aqui, desde que ele possua os seguintes atributos: brilho e contraste, níveis (levels), curvas (curves) e nitidez (sharpen).

Bom, o primeiro passo é abrir a imagem no programa. Feito isso, vamos ao que interessa:

No menu superior, vá em filtro > tornar nítido > tornar nítido. Em inglês, fica filter > sharpen > sharpen. Esse filtro acentua as arestas da imagem, de fato tornando-a mais nítida; aqui em baixo, cês podem ver a diferença que o filtro faz na imagem. E é super importante pra preservar cada aguada, além da textura do papel (que geralmente é bem aparente).

Agora, vamos interferir nas propriedades de luz e sombra da imagem. Aperte ctrl + M para abrir a janelinha das propriedades de curvas (curves), e vá alterando o gráfico conforme sua necessidade; eu gosto muito de mexer nas extremidades da linha, para acentuar bem as cores e os detalhes do desenho.
Já tá ficando mais interessante, né? Mas tem mais: agora vamos mexer nos níveis (levels) – aperta ctrl + L aí no seu teclado, e vai abrir a caixa de diálogo dessa função. Vocês também podem ajustar os três ‘pinos’ da maneira que convier, é só ficar bem atento aos resultados que aparecem à medida em que as posições são alteradas.
A edição já poderia ser finalizada, mas ainda há algo que podemos fazer: brilho e contraste. Para ter acesso à caixa de diálogo dessa propriedade, vá no menu superior e clique em imagem > ajustes > brilho e contraste. Em inglês, image > adjustments > brightness and contrast. Os princípios são os mesmos: vai mexendo nos ponteiros até a imagem ficar do jeito que você quiser. Muita atenção pra que os brancos da aquarela não “estourem” (fiquem muito ‘marcados’, muito brilhosos), certo? O mesmo vale pras cores mais clarinhas da tua pintura.
E pronto, gente, chegamos ao fim! 🙂 Esses são os ajustes básicos que eu sempre faço nas minhas ilustrações antes de colocá-las aqui, no blog, e até mesmo antes de imprimi-las. São configurações bem simples, mas que fazem toda a diferença no resultado final da imagem digitalizada. Obviamente não fica a mesma coisa, mas com esses recursos, a gente pode chegar num resultado bem aproximado.
E voilá! Vendo a comparação assim, a gente vê a diferença gritante que a edição de imagem pode fazer pela nossa aquarela. 🙂 Está pronta pra ser divulgada pro mundo!
Espero ter tirado todas as dúvidas de vocês, e que o post tenha sido bem útil! Se alguma coisa não tiver ficado clara, deixa aí nos comentários que eu vou tentar responder todo mundo 🙂 Se você curtiu o post, não deixa de me contar também, e mostrar prozamigue tudo!
Beijinhos!
2
amaram

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

41 Comentários

Receba atualizações sobre cursos, eventos, atualizações no blog, novos produtos e promoçoes na lojinha direto na sua caixa de entrada! ps: sem spam, só amor <3
Receba atualizações sobre cursos, eventos, atualizações no blog, novos produtos e promoçoes na lojinha direto na sua caixa de entrada! ps: sem spam, só amor <3
Todas as imagens e conteúdos presentes neste site são de autoria de Juliana Rabelo, exceto quando sinalizadas.
Copyright © 2013 - 2019 Juliana Rabelo. Todos os direitos reservados