15 julho 2015 arquivado em: Blog dicas

Sabe quando você de repente se vê sem nenhuma ideia do que criar? Tem uma mesa cheia de materiais, mas aquela folha branca só aumenta sua tensão? Ou pior: quando você até tem ideias, mas simplesmente, por algum motivo obscuro, não consegue colocá-las no papel? Bem, amigos, sejam bem vindos ao temido art block (ou bloqueio criativo).

O art block pode acontecer em qualquer área criativa, e esse é um post mais voltado ao bloqueio criativo no desenho/ilustração. Compartilho com vocês, na minha experiência pessoal, quatro dicas que funcionaram pra que eu pudesse sair dessa super bad vibe criativa. 
1. Estudar, estudar, estudar.

estudos dirigidos fornecidos pelo Estúdio Daniel Brandão, para os alunos do curso de Desenho Avançado.

Eu discordo veementemente de quem acredita que desenho é dom. Desenho é prática, é esforço e treino, e já provei isso no post que mostrei minha evolução em 13 anos desenhando. Então, se você está tendo dificuldade em desenhar coisas “da sua cabeça”, que tal voltar para os estudos básicos? Anatomia e proporções são boas pedidas pra quem, assim como eu, curte desenhar a figura humana. Não se preocupe em atingir excelentes resultados, mas em absorver todas as informações daquele exercício. Se for usar fotos de referência, se preocupe mais em estabelecer relações de proporção, observar ângulos e áreas de luz e sombra; nesse momento, a estética do resultado final não importam muito: concentre-se em aprender e criar novos referenciais para o seu processo criativo.

2. Cuidando da autocrítica

Acreditem: eu tenho bastante propriedade para falar de autocrítica, pois – como uma boa virginiana – me cobro muito, o tempo inteiro e em qualquer atividade. Uma coisa que pesa bastante, pra mim, é pensar que “preciso fazer um desenho pra postar no blog” e, quando eu estava com art block, isso me deixava desesperada; então, uma dica: você não precisa postar tudo o que faz. Desenhe, rabisque e faça estudos pra você, não pros outros. Você já é o seu maior crítico.  Pensar assim alivia a pressão e te deixa mais livre pra fazer novos experimentos 🙂
Se você tiver amigos que também desenham, não se avexe e mostre seus estudos, peça dicas, pergunte como eles fazem coisa X ou Y, peça pra ver o sketchbook deles. Compartilhando experiências, você vai ver que não é o único a passar por esse tipo de situação! Isso alivia a pressão que você mesmo causa, e te motiva a tentar coisas novas. Estar aberto a críticas é super importante, também. Mesmo que você, em um primeiro momento, se sinta inseguro, com um pouco de maturidade vai conseguir transformá-las em um catalisador da vontade de fazer cada vez melhor 🙂
3. Fazendo o diferente

Já tentou de tudo, já espremeu o cérebro ao máximo, mas mesmo assim nada sai de lá? Sem problemas. Sabe aquela coisa que você sempre quis fazer, mas nunca teve coragem? Esse é um ótimo momento para fazer tudo isso! No meu caso, fiz dois cursos de bordado, me dediquei às minhas plantinhas, pesquisei e fiz receitas, além de ter conseguido parar para estudar mais sobre aquarela. Procure atividades diferentes e mergulhe de cabeça nelas!
Ficar um tempo sem pensar em como essa situação é horrível e te deixa pra baixo é maravilhoso! E ainda por cima, você aprende coisas novas; e quem disse que esses aprendizados não podem se transformar em inspirações para seus próximos desenhos? 😉
4. Take your time!

Essa é uma das coisas mais difíceis, né? Eu sei. Reconhecer que as coisas realmente não estão dando certo é doloroso, mas pense que isso pode ser uma espécie de “sinal” pra você dar uma parada, ou desacelerar o ritmo. Pra mim, foi muito difícil perceber que não adiantava nada continuar desenhando freneticamente, se a qualidade dos desenhos estava estagnada e eu ficava sempre insatisfeita no final de tudo.
Mas esse é um passo importante e, por experiência própria, posso dizer pra vocês que funciona bastante. Depois desse tempo que fiquei afastada, sinto que minha cabeça tá mais arejada, e me sinto super disposta para desenhar e pensar em novas ideias e projetos 🙂

Durante o tempo que fiquei ausente do blog, tive o maldito art block por quase 3 semanas, e essas foram algumas coisas que me ajudaram bastante a superar esse momento. O bloqueio criativo às vezes pode estar também relacionado com algum tipo de conflito emocional/psicológicos; não sei se com vocês é assim também, mas comigo, quando eu começo a conseguir resolver cada pequena probleminha da vida, sinto que é como se estivesse expulsando cada coisinha ruim de dentro de mim, e dando espaço para que as coisas boas entrem (incluindo a inspiração para os desenhos). E aí, aos pouquinhos, tudo vai se resolvendo :~}

—-

Se você curtiu o post, recomendo um outro muito bacana, escrito pela Lidy, sobre coisas que minam seu processo criativo. Vale a leitura!
Mas e aí, vocês já passaram (ou estão passando) por esse bloqueio criativo? Como conseguiram sair dele? Adoraria ver as experiências de vocês. Se tiverem mais dicas, compartilhem com a gente aqui nos comentários! Vou adorar ler ♥
0
amaram
    Dicas para ilustrar (ou: como encarar a folha em branco)

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

27 Comentários

Receba atualizações sobre cursos, eventos, atualizações no blog, novos produtos e promoçoes na lojinha direto na sua caixa de entrada! ps: sem spam, só amor <3
Receba atualizações sobre cursos, eventos, atualizações no blog, novos produtos e promoçoes na lojinha direto na sua caixa de entrada! ps: sem spam, só amor <3
Todas as imagens e conteúdos presentes neste site são de autoria de Juliana Rabelo, exceto quando sinalizadas.
Copyright © 2013 - 2019 Juliana Rabelo. Todos os direitos reservados