10 junho 2014 arquivado em: Blog
Desde os tempos de faculdade, me questionava sobre o cenário da moda cearense e brasileira – mais fortemente a cearense –: cópia, repetição, monotonia, desvalorização do profissional do setor criativo, ritmos acelerados, reproduções descontroladas. Carreguei esses questionamentos comigo até o último dia de curso, e até hoje carrego. A minha monografia falava de um movimento ainda pequeno – mas já considerável – de moda autoral em Fortaleza: algumas marcas que se dispuseram a fazer diferente, remar contra a maré e ir contra todos os preceitos que moda-em-fortaleza envolve.
Alguns meses depois de formada, decidi reavivar meu projeto (com algumas modificações). O zine Iracemas agora é Projeto Composição, e a ideia é descobrir, valorizar e tornar essas marcas autorais mais conhecidas em cenário nacional (e internacional, quem sabe?); mostrar que sim, é possível trabalhar com o que a gente ama, que é possível aliar o amor ao profissionalismo, que é possível criar e obter retornos com isso… Enfim, o Projeto Composição veio pra inspirar e motivar, para dar coragem e pra provar o contrário! 
Para inaugurar o projeto, entrei em contato com a Renata Santiago, estilista de sua própria marca (a modaparamim), personal stylist e professora. A modaparamim existe desde 2011 e é uma marca autoral e genuinamente fortalezense que preza pela limpeza visual, pelo conforto e pela durabilidade de suas peças e pelo atendimento exclusivo e personalizado para cada cliente. Visitei o ateliê da Renatinha em abril e fiz uma entrevista com ela, e hoje quero compartilhar com vocês o resultado dessa troca maravilhosa 🙂
Como tudo começou
Foi durante uma aula de Física que os vestidos de noiva começaram a nascer dos papéis. Estudante de Administração (UECE), a Renata percebeu que não era bem aquilo que ela queria. Na verdade, ela queria outra coisa também. Estudou sozinha para o vestibular sem apoio e escondida da família, trabalhava para pagar o cursinho (à noite), e o resultado de tanto esforço não poderia ter sido diferente: foi aprovada em primeiro lugar no curso de Estilismo e Moda (atualmente Design de Moda) da UFC.

Experiências anteriores
Antes de criar a modaparamim, a Renata contou que estagiou em duas empresas da cidade, mas não por muito tempo (identificação level hard, aqui): ela saía do estágio frustrada, porque chegava sempre cheia de ideias que quase nunca eram aprovadas e, além disso, a função dela se restringia ao preenchimento de fichas técnicas e outras funções menos criativas. Ela conta que, ao deixar o primeiro estágio, ela gritava de felicidade e se sentia libertada. A sua segunda experiência foi com uma empresa de jeans, e lá ficou por mais tempo: um ano.

Assim como eu, a Renata também foi bolsista do Projeto de Extensão Bolsa Arte, e lá teve uma alta produção acadêmica, com artigos publicados em revistas locais e nacionais e uma premiação; durante o período de bolsa, o objeto de estudo que ela trabalhava era Moda e Música, e isso acabou se refletindo na essência de sua marca.

Modaparamim
Com o desejo de aliar criação de moda e consultoria de imagem, nasceu o ateliê modaparamim. No início, a marca produzia apenas vestidos exclusivos mas, com o passar do tempo, sentiu-se a necessidade de ampliar a variedade e a quantidade de peças: ainda hoje a marca trabalha com um número limitado de produtos, que são feitos quase sob medida para cada cliente. Como assim?

A Renata conta com o seu marido, o psicólogo Ivo Ricardo, para manter a marca. Em conjunto, eles trabalham as características comportamentais, estéticas e psicológicas de cada cliente em individual e, a cada nova coleção, todas essas características são levadas em consideração na hora da criação de cada peça. Na entrevista, ela contou: “tem peça que a gente faz já pensando no cliente. Esse vestidinho vai ficar a cara da fulana! Essa saia, sicrana com certeza vai levar. E a gente geralmente acerta [nas apostas]”. 

Com todo esse carinho, é de se esperar que o cliente acabe criando um vínculo afetivo com a roupa! A proposta da marca é criar roupa pra vida toda, e isso graças não só à qualidade do material escolhido e ao cuidado durante o processo de produção, mas também ao conteúdo emocional que a roupa acaba trazendo em si.

A marca preza pelo slow fashion e acredita que a sustentabilidade está em pequenas e grandes ações que tomamos no quotidiano; pensando nisso, eles não trabalham com facção, não produzem papel (a embalagem é uma ecobag, que pode ser reutilizada depois; os preços dos produtos nas cruzetas são reaproveitados após as peças serem vendidas, e não, eles não produzem tags), e querem que o cliente tenha a sensação de tranquilidade e conforto, por isso o atendimento personalizado e com hora marcada.

Cada coleção conta uma história; a coleção 3 esferas, por exemplo, nos fala sobre a interação de três pilares que compõem o país: a fauna, a flora e o futebol. Pesquisas profundas e extensas foram feitas sobre cada pilar, e é isso que mais admiro na modaparamim: a preocupação em não tornar nada clichê, repetitivo; um exemplo claro é que essa coleção recebeu a influência da Copa do Mundo, mas como?

A marca apostou nos conjuntinhos, fazendo referência aos uniformes dos times como elementos formais, às torcidas organizadas. Também há as modelagens mais boyish, mais confortáveis, mais despojadas e, ao mesmo tempo a linha romântica: como vou me relacionar mediante os inconformismos sociais, como vou me proteger, que imagem vou passar para mim mesma e para o outro? Vejam como as referências são sutis, simples e belas!

Um outro exemplo sobre a sutileza das referências que a modaparamim faz às macrotendências é essa saia (comprei ano passado e usei na minha defesa de monografia). Na época, a grande tendência era a estampa de azulejo português e, ao invés de comprar tecidos estampados de azulejo como todo mundo fez, a Renata foi lá, juntou essa renda (já dando início à referência, já que a renda foi um ‘presente’ que ganhamos com a chegada dos portugueses) com detalhes em azul com um forro nude e – tcharam -! Fez sua própria interpretação da estampa. Como não se apaixonar?
Bom, saí do ateliê com a cabeça fervilhando de ideias pras ilustrações que ia fazer e, assim que cheguei em casa, já fui anotando as ideias no caderninho. O que mais me chamou atenção na coleção 3 Esferas foram as estampas e as modelagens que caminham pelo clássico, pelo romântico e pelo sport, e foi pensando nisso que fiz o set de ilustrações modaparamim.
A primeira ilustração foi do vestido animal print. O tecido é uma viscose acetinada, super levinho e confortável. Adoro a modelagem feminina-romântica em contraste com a estampa de leopardo, mais agressiva! Quis retratar uma garota igualmente dotada desse dualismo: o rostinho mais angelical e os cabelos cacheados representam a doçura, e as manchinhas de leopardo surgindo em sua pele revelam a bravura despercebida. Utilizei lápis de cor e caneta em alguns detalhes.
Para representar o vestido princesa floral, pensei em uma princesa moderninha, cheia de atitude, mas sem perder o espírito romântico. Percebam que a Renata adora misturar essas referências dicotômicas nas peças (tecido floral, mas com fundo escuro; o tecido é uma seda, mas de gramatura mais alta, deixando o vestido com caimento mais pesado) – e eu também (nas ilustrações)! Para essa ilustração, utilizei aquarela e colagem, e fiz alguns acabamentos com lápis de cor. Foi a preferida dela 🙂
Por fim, a ilustração da blusa que ganhei! ♥ Foi minha preferida da coleção inteira, mesmo eu não gostando muito de roupas amarelas; quem ganhou meu coração foi a estampa de borboletas, libélulas e joaninhas, e pensei nessa camisa pertencendo à uma garota que, mesmo já crescida, ainda mantem o espírito rebelde dentro de si: ela corta a própria franja, pinta os olhos como bem quer e sempre tem novas ideias florescendo de sua mente.
Eu realmente sou apaixonada por tudo que a Renata faz, e acho impressionante o cuidado que ela tem com cada pessoa com quem ela se relaciona. Quando cheguei no ateliê com minha irmã, fomos recebidas com um sorrisão enorme e brigadeiro caseiro feito por ela mesma! Enquanto escolhíamos nossas peças favoritas, a Renata nos ajudava com serviços de consultoria, sempre respeitando nossos estilos, tipos físicos, coloração e gostos pessoais.
Se você mora em Fortaleza, recomendo fortemente a visita no ateliê modaparamim. Outra opção é solicitar o modaparamim delivery: é só entrar em contato com a Renata e marcar um dia pra ela levar as peças na sua casa – com o mesmo atendimento personalizado e com uma seleção de peças feita uma a uma por ela (e por experiência própria, devo dizer que ela sempre acerta nas escolhas). E pros estudantes de moda, fiquem atentos: em breve, ela estará contratando estagiários remunerados para a marca!
showroom ateliê modaparamim 
R. General Caiado de Castro, 695, Água Fria.
telefones: (85) 9673-1122 – 9145-8368
site | facebook | instagram

Gente, espero que vocês tenham gostado da proposta do projeto e de conhecer a modaparamim 🙂 Eu realmente fiquei muito empolgada escrevendo, mas é porque tem tanta coisa bacana pra ser dita, que foi difícil escolher. Eu espero também que o case da Renatinha tenha servido de inspiração pra você, que quer ter algo seu, ou pra você que -assim como eu- quer viver do que ama… Tá vendo como é possível?
Com dedicação, esforço, paciência e amor, dá tudo certo. ♥
Beijos pra vocês!
0
amaram
    Projeto Composição + Ensemble

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 Comentários

Receba atualizações sobre cursos, eventos, atualizações no blog, novos produtos e promoçoes na lojinha direto na sua caixa de entrada! ps: sem spam, só amor <3
Receba atualizações sobre cursos, eventos, atualizações no blog, novos produtos e promoçoes na lojinha direto na sua caixa de entrada! ps: sem spam, só amor <3
Todas as imagens e conteúdos presentes neste site são de autoria de Juliana Rabelo, exceto quando sinalizadas.
Copyright © 2013 - 2019 Juliana Rabelo. Todos os direitos reservados