19 maio 2015 arquivado em: Blog materiais
Post atualizado em 15/07/2021 🙂
O pincel com reservatório é um item artístico extremamente prático: por conter reservatório, pode ser facilmente transportado e utilizado para técnicas secas ou úmidas. Falei brevemente sobre ele no post sobre aquarela de bolso, mas hoje falo mais aprofundadamente sobre esse pincel, ensinando duas formas básicas de uso e tecendo meus prós e contras sobre ele.
Eu conheço apenas duas marcas que possuem o pincel com reservatório para venda: a Sakura e a Pentel (Aquash); neste post, utilizo o da Pentel, que comprei em uma viagem para fora do Brasil há algum tempo. Nunca usei o da outra marca, mas acredito que não existam grandes diferenças.
O pincel vem montadinho na caixa: você só precisa desmontá-lo; basta desrosquear (esse termo existe?) a ponta do corpo e encher o corpo (que é o próprio reservatório) com o que você quiser. No tutorial de hoje, ensino a utilizar o pincel com tinta e com água.

Pincel com reservatório + tinta

Não tem muito segredo: eu coloquei um pouco de aquarela preta, enchi o tubinho com água (colocando embaixo da torneira, mesmo) e agitei até ver que a mistura ficou uniforme. Depois, é só ir apertando devagarzinho até você perceber que a tinta chegou nas cerdas.

Usar o pincel com a mistura de tinta + água é bacana para fazer caligrafias, arte-finalização e pinturas uniformes. Como a mistura já está formada dentro do reservatório, é como se você estivesse pintando com uma tinta “infinita” e bem estável.

Pincel com reservatório + água

Aqui, é bacana usar com aquarelas em pastilha ou com os lápis de cor aquareláveis (ensinei como usá-los nesse post). Você pode passar o pincel na ponta do lápis, ou passar em cima de um desenho já feito sobre o papel; à medida que a água for descendo pelas cerdas, ela se espalhará no conteúdo.

Prós e contras

Prós:

  • Muito prático. Ele vem com uma tampinha, impedindo que o conteúdo do reservatório manche o lugar em que o pincel esteja guardado. Além disso, é bem fácil de levar na bolsa e poder praticar aquarela (ou caligrafia, ou arte-final) onde quer que você esteja.
  •  A água nunca fica suja! <3 se você usar ele com água limpa dentro, claro.
  •  Durabilidade: esse é o tipo de pincel que aguenta trancos e barrancos. Por ser de plástico e ter cerdas de nylon, ele não estraga fácil como um de madeira, por exemplo, que apodrece se esquecemos de secá-lo devidamente.

Contras:

  • Como a água escorre invariavelmente, você eventualmente vai fazer um “degradê” acidental com os tons.
  • Não é sempre que você quer que a água escorra na sua pincelada, e isso pode acabar gerando manchas não planejadas.
  • O pincel com reservatório pode dificultar o entendimento do uso da água na aquarela.
Eu, particularmente, só uso esse pincel quando vou sair e sei que vou enfrentar longas filas de espera; aí levo meu equipamento de bolso sem muitas pretensões. Mas eu não indico esse pincel, de modo algum, para quem está se iniciando nos estudos de aquarela, pelas razões que citei acima. É muito importante que a gente adquira a sensibilidade de dosar a água nas misturas, e esse pincel – na minha opinião – não ajuda muito nisso.
Agora, se você quer saber quais são os meus pincéis favoritos pra aquarela, deixa eu te mostrar!
Ou seja: é um equipamento bacana de se ter para experimentar, testar coisas novas e levar no bolso quando tiver intenção de praticar fora de casa. Mas não para usar nas pinturas “pra valer”, pois ele é extremamente imprevisível.
Espero ter esclarecido todas as dúvidas de vocês sobre o pincel com reservatório! 🙂 se vocês têm ainda alguma dúvida, ou algo a adicionar ou contestar, é só deixar aqui nos comentários. E se esse conteúdo foi útil pra você, dá um like e chama os amiguinhos pra ver, assim você apóia meu trabalho e me motiva a produzir mais conteúdo.
6
amaram
    o que fazer com pincéis velhos?
    quais aquarelas eu uso

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

22 Comentários