28 maio 2014 arquivado em: Blog materiais
Post atualizado em 15/07/2021 🙂
Como usar lápis de cor aquarelável? Neste post, eu te apresento duas técnicas diferentes para você dar os primeiros passos na pintura com esse material!
O lápis de cor aquarelável foi minha chave de acesso ao universo da aquarela: quando aprendi a usá-los, me senti segura e confiante para continuar com os estudos e partir para as aquarelas em bisnaga (e depois em pastilha). Hoje, quero compartilhar com vocês o que aprendi sobre eles 🙂
O lápis de cor aquarelável possui em sua composição um pigmento especial que, ao entrar em contato com a água, aquarela. Isso não acontece com os lápis de cor “normais”, que são feitos para uso em seco. Existem várias marcas no mercado que produzem esse tipo de lápis; algumas que já testei e posso indicar são a Derwent, Caran D’Ache e os da Faber-Castell, que utilizei nesse post.
Bom, eu aprendi duas maneiras de utilizar o lápis de cor aquarelável:

Técnica 01

A primeira delas é fazendo o desenho com o próprio lápis de cor aquarelável e depois aquarelando com um pincel úmido ou bem molhado. Na foto acima, vocês podem ver o coraçãozinho que desenhei e preenchi uniformemente com o lápis de cor.

Depois, umedeci o pincel com água e passei por cima do coraçãozinho em movimentos contínuos (tentando tirar o pincel do papel o mínimo possível) e suaves; ao receber a água, o pigmento vermelho tende a “soltar” da folha e a se espalhar de acordo com as pinceladas. No final, o coração ficou bem preenchido e uniforme. Quanto mais força, ou camadas, você aplicar no papel, mais intensa ficará a cor final.
Para obter figuras com volume, você pode usar ainda o lápis de cor aquarelável: quanto mais força você imprimir ao lápis, mais forte fica o preenchimento. Mas atenção: se o objetivo for aquarelar depois, não coloque tanta força assim, pois pode ser que essa pressão toda marque o papel e impossibilite a ativação do pigmento.
Finalizado o desenho, repete-se o mesmo procedimento para aquarelar: molhar o pincel e passá-lo por cima do desenho já colorido. A parte branca que deixei na foto anterior foi delicadamente preenchida pelo pigmento vermelho, e o coração agora ganhou um aspecto mais tridimensional.
Essa técnica tem como característica forte a presença do rastro do lápis de cor aquarelável no papel: mesmo depois de ter passado as pinceladas molhadas, é possível que o rastro daquele desenho inicial apareça de alguma forma no final. Quanto mais leveza você conseguir imprimir ao lápis, menor o rastro que ele irá deixar no papel – mas ao mesmo tempo, mais transparente ficará a cor final. Essa técnica é ideal para o preenchimento de áreas grandes, em que você não precisa de muita precisão ou detalhamento.

Técnica 02

lápis de cor aquarelável - Juliana Rabelo

A segunda maneira de usar os lápis de cor aquareláveis é, como aprendi, “indo beber direto na fonte”. Assim, umedecemos o pincel e passamos ele diretamente na mina (“grafite”) do lápis para a retirada do pigmento. Atenção nesse ponto:
nunca mergulhe o lápis diretamente na água, e nem encoste o pincel molhado na madeira do lápis!
Isso faz com que a madeira apodreça rapidamente, comprometendo a qualidade e a durabilidade do lápis de cor.
lápis de cor aquarelável - Juliana Rabelo
Esse é o aspecto que o lápis, o pincel e a água terão após o procedimento.
lápis de cor aquarelável - Juliana Rabelo
Nessa segunda técnica, existe uma ampla possibilidade de uso – na foto acima, fiz um coração todo preenchido e outro só com o contorno. Essa técnica é ideal para detalhes, áreas pequenas e que exigem maior precisão. Ela também explora mais as possibilidades do pincel (variações de pressão e inclinação) e a coordenação motora.
Para bons resultados, utilize sempre material apropriado para aquarela, principalmente o papel. Um papel diferente (não próprio para aquarela) não te dá esse resultado, enverga mais que o normal e corre o risco de rasgar durante o procedimento, ou seja: só dor de cabeça. Nesse post, eu usei o verso do papel Canson Aquarela (linha estudante). Falei um pouco sobre pincéis para aquarela em postagens anteriores, que você pode ver clicando aqui.
Agora é só por a mão na massa e praticar! 🙂
Espero que o post tenha sido útil pra vocês! Não deixem de comentar sobre o que vocês acharam, hein?
Um cheiro!
13
amaram
    o que fazer com pincéis velhos?
    quais aquarelas eu uso

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 Comentários

Receba atualizações sobre cursos, eventos, atualizações no blog, novos produtos e promoçoes na lojinha direto na sua caixa de entrada! ps: sem spam, só amor <3
Receba atualizações sobre cursos, eventos, atualizações no blog, novos produtos e promoçoes na lojinha direto na sua caixa de entrada! ps: sem spam, só amor <3
This error message is only visible to WordPress admins

Error: No connected account.

Please go to the Instagram Feed settings page to connect an account.

Todas as imagens e conteúdos presentes neste site são de autoria de Juliana Rabelo, exceto quando sinalizadas.
Copyright © 2013 - 2020 Juliana Rabelo. Todos os direitos reservados