27 maio 2013 arquivado em: Blog
Olá a todos! Depois de um período longo de ausência, volto pra esse blog pra compartilhar com vocês algo que é bem recorrente em qualquer tipo de desenho que envolva pessoas: a pintura da pele. Nessa postagem, resolvi mostrar como se dá esse processo com o lápis de cor, aproveitando o trabalho final e desesperador da disciplina de desenho que estou fazendo na UFC 🙂

Independentemente da cor, técnica ou propósito da pintura, eu sempre gosto de trabalhar com muitas cores da mesma paleta. Isso atribui um contraste e vivacidade muito grandes ao desenho e, se essa for sua intenção, os passos abaixo serão de grande valia!
Começo a preencher a cor de base. Essa cor de base nada mais é que a cor mais fraca da paleta escolhida para aquela determinada área. No caso do desenho deste post, a área determinada foi a pele, e a cor de base escolhida foi a desse lápis que aparece sobre o desenho. Isso porque escolhi trabalhar uma pele mais clarinha, mas no caso de tons mais fechados, aconselho começar com uma cor de base mais escura. Notem que, com a mesma cor de base, já começo a determinar também as áreas de luz e sombra do desenho; isso facilita o trabalho com as próximas cores.
A segunda cor utilizada foi esse rosinha claro da foto. Notem que ele não só acentua as sombras do desenho, mas acrescenta uma tonalidade a ele. Isso quer dizer que, se você quisesse o seu croqui com uma pele mais alaranjada, era só acrescentar tons de laranja. O mesmo para peles mais azuladas e amareladas: acrescentaria-se as cores dessa paleta. Como a minha coleção (sim, será uma coleção de 15 looks) tem uma proposta mais delicada e meiga para as modelos, optei por trabalhar o rosado.
À medida que vamos acrescentando mais cores, o contraste vai se acentuando, dando a impressão cada vez maior de tridimensionalidade. Adicionei o marrom clarinho da foto para anular um pouco do rosado, conferindo ao desenho uma cor mais natural. A dica ao utilizar cores mais escuras é tirar o peso da mão e pintar bem de leve, pois qualquer forcinha a mais pode significar um risco indesejado no desenho.
A quarta cor vem com o objetivo de ressaltar a maquiagem do croqui, então utilizei apenas na área das bochechas e nos lábios. Adicionei também um pouco nos ombros, pra simular um possível bronzeamento.
Finalmente, a última cor: o marrom mais escuro da caixa. Utilizado nas áreas de sombra mais intensa, ele ajuda a reforçar a ideia de que há tecidos sobrepostos à pele, além de enfatizar os encontros de partes do corpo. Também utilizei na maquiagem dos olhos. Ainda poderia acrescentar o preto em espaços ainda menores, mas preferi parar na quinta cor. Tenho tentado fugir do preto, nos últimos anos, mas isso é pessoal! Hihihi!
O importante é que vocês percebam a diferença entre um desenho colorido apenas com uma cor, e outro colorido com várias cores da mesma cartela! Espero que o post tenha sido útil pra vocês!
Gostou e quer aprender a pintar pele usando aquarela, também? Dá uma olhada nesse post! ;~)
Se tiverem dúvidas e/ou sugestões, é só deixar nos comentários, que eu tentarei responder o quanto antes 🙂
Um abraço e até a próxima!
♥♥♥
Material utilizado: Lápis de cor (48 cores) Faber Castell + Papel Canson A4 de 270g/m².
Esse post não é patrocinado!
0
amaram

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 Comentários

Receba atualizações sobre cursos, eventos, atualizações no blog, novos produtos e promoçoes na lojinha direto na sua caixa de entrada! ps: sem spam, só amor <3
Receba atualizações sobre cursos, eventos, atualizações no blog, novos produtos e promoçoes na lojinha direto na sua caixa de entrada! ps: sem spam, só amor <3
Todas as imagens e conteúdos presentes neste site são de autoria de Juliana Rabelo, exceto quando sinalizadas.
Copyright © 2013 - 2019 Juliana Rabelo. Todos os direitos reservados